Skip to content

Dia de Bárbaro

04/11/2008

Obama Kennedy

Obama Kennedy

Os americanos dão extremo valor para a história antiga no ensino médio e universitário. Não chega a ser tão valorizada quanto a literatura, mas é um tópico que tem um bom status na vida intelectual e política dos Estados Unidos. A Roma Antiga é a parte preferida desse tópico.

 

Creio que esse gosto pela Roma Antiga é um modo dos americanos se reconhecerem como vivendo no centro do Império mundial de hoje. E a CNN que, enfim, torce por Barak Obama e conta com sua vitória (a esta hora, as urnas já consagraram alguém!), não tem sido hipócrita. Ela diz claramente que a eleição americana está decidindo o futuro do planeta. E está mesmo. Aliás, a cobertura é a mais “romana” de todas que já vi e ouvi falar. Obama é um senador não romano e que representa o “sonho americano”, as “luzes” de Roma, e que enfrenta um “militar”, um herói de guerra, mas que nada mais é que um homem do passado, da Guerra Fria, e talvez um aficionado por gente do miolo conservador e rural do Império.

Em uma pequena vila do Quênia há muita gente bebendo por Obama. E no resto do mundo – as províncias – há ricos e pobres em boa quantidade que o consideram uma esperança. Pois se ele distribuir riqueza e fizer o americano voltar a consumir mais, o mundo todo sairá do sufoco que atingiu a todos graças à desastrada política de Bush, o antigo imperador. Vencendo hoje, Obama será o primeiro autenticamente bárbaro que chegará ao poder romano. Será o chefe do maior e mais poderoso exército de todos os tempos e será o homem que poderá impulsionar uma vida melhor para os americanos e, então, espraiar trabalho pelo mundo todo. Os americanos consumindo, o mundo respira. As províncias estão acostumadas a trabalhar para o americano consumir. Isso as permite viver fora da miséria. Roma precisa ser reluzente para que haja trabalho na Judéia. Só mesmo um bárbaro para compreender isso nas suas implicações mais detalhadas.

Mesmo os céticos de sempre estarão felizes com a vitória de Obama, pois poderão dizer que “ao menos há a novidade” no horizonte.

O Império realmente havia esgotado todas as suas possibilidades de ainda seguir nas mãos dos romanos. E nem adiantava mais trazer negros e pobres para o governo. Era necessário trazer, de fato, um bárbaro, alguém com raízes nas províncias. Mas não alguém que veio do ABC paulista e que se orgulha de não ter feito faculdade, e sim um senador de Harvard. Nisso, a América cumpriu o que Roma cumpriu quando teve o filósofo estóico Marco Aurélio como imperador. Ou melhor, cumprirá, caso Obama vença. Também eu me deixei empolgar, quando da época da campanha de Bob Kennedy que, como sabemos, não chegou ao fim.

Sou um otimista ingênuo? Não! Ao contrário, esse meu texto é pessimista e realista. Obama não vai tirar os soldados do Iraque e trazê-los para casa, vai é realocar tropas para o Afeganistão. O Império que traz seu exército para casa faz com que generais comecem a pensar em outra coisa que não a guerra, e eles não podem pensar em outra coisa, pois começam a pensar em política. Além disso, Obama não vai colaborar com os países pobres, vai ampliar o protecionismo americano, e sua colaboração será indireta – quem quiser vender para os Estados Unidos e superar o protecionismo, se salvará. Quem não puder fazer isso e tiver revoltas internas, contará com a “ajuda” dos mariners, os soldados do Império.

Roma continuará a ser Roma. Marco Aurélio não seria um bom imperador se hoje, na história, ele tivesse sido esquecido como filósofo e lembrado apenas como um tipo de Gorbachev. Ainda que este tenha, de fato, sido herói.

Paulo Ghiraldelli Jr., filósofo.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: